Busca avançada
  1. Home
  2. Anticoncepcional: tudo o que você precisa saber!
Anticoncepcional: tudo o que você precisa saber!

Anticoncepcional: tudo o que você precisa saber!

  • 29 de junho de 2022
  • 0 Curtidas
  • 474 visualizações
  • 0 Comentários

A pílula anticoncepcional combina estrógeno e progesterona para inibir a ovulação, impedindo a liberação do óvulo. Além disso, a pílula tem ação atua alterando o muco endocervical e evitando que os espermatozóides sejam fecundados.

Além da pílula anticoncepcional, existem também os anticoncepcionais injetáveis, que podem ser constituídos apenas por progesterona ou ser uma combinação de progesterona e estrogênio.

Para saber qual método adotar a mulher deve seguir orientações médicas. Essas orientações levarão em consideração suas características individuais, seu perfil e possíveis doenças associadas.

Conheça os anticoncepcionais hormonais e não hormonais:
Os métodos anticoncepcionais não hormonais são aqueles em que a contracepção não possui hormônio. Eles são:

  • DIU – índice de falha 0.1%;
  • Vasectomia e Laqueadura – índice de falha 1%;
  • Abstinência sexual – índice de falha 0%;
  • Camisinha – índice de falha 8% a 20%;
  • Diafragma – índice de falha 8% a 20%;
  • Camisinha feminina – índice de falha 8% a 20%;
  • Espermaticida – índice de falha 20%;
  • Método do muco cervical – índice de falha 10% a 20%;
  • Tabelinha – índice de falha 10% a 20%;
  • Coito interrompido – índice de falha 15% a 20%.

Os métodos contraceptivos hormonais são aqueles em que a contracepção é controlada por hormônios. Eles são:

Pílula – índice de falha 0,1%;
Injeção anticoncepcional – índice de falha 0,1%;
DIU Hormonal – índice de falha 0,1%;
Implante – índice de falha 0,1%;
Anel vaginal – índice de falha 0,1%;
Adesivo anticoncepcional – índice de falha 0,1%;
Pílula do dia seguinte – índice de falha 5% a 20%.

Quais são os riscos e os benefícios do anticoncepcional hormonal?

Em mulheres com histórico de tabagismo, hipertensão, obesidade ou diabetes o medicamento pode contribuir para o aumento de riscos cardiovasculares, como a ocorrência de acidente vascular cerebral (AVC), infarto e trombose. Muitas mulheres reclamam que após fazer uso do anticoncepcional percebeu um declínio em seu desejo sexual.
Mas, o medicamento também tem seus benefícios. Entre eles está o seu principal: a eficácia de 98% contra a gravidez! Além de reduzir as cólicas e a tensão pré-menstrual, diminuir o fluxo menstrual, regular o ciclo menstrual e melhorar quadros de acne e hirsutismo.

Como usar o anticoncepcional corretamente?

Pílula normal: deve-se tomar 1 pílula por dia, sempre no mesmo horário até o fim da cartela, e depois fazer uma pausa de 4, 5 ou 7 dias, dependendo da pílula, para menstruar. Depois dessa pausa o uso da pílula deve ser retornado!

Pílula de uso contínuo: deve-se tomar 1 pílula por dia, sempre no mesmo horário, todos os dias, sem pausa entre as cartelas.

Anticoncepcional injetável mensal: o anticoncepcional injetável mensal deve ser aplicado até o 5º dia após o início do ciclo menstrual. A próxima dose será aplicada após 30 dias.

Anticoncepcional injetável trimestral: o anticoncepcional injetável trimestral deve ser aplicado até o 5º dia do início do ciclo menstrual e tem atuação por três meses no corpo da mulher. A próxima dose será aplicada após 90 dias.

“Na pausa do anticoncepcional eu corro o risco de engravidar?”

Não. Se usado corretamente, o anticoncepcional mantém a sua eficácia no período de intervalo entre uma cartela e outra.

Mas fique atenta! Se você se esquecer de alguns comprimidos – principalmente um dos quatro primeiros e um dos quatro últimos antes da nova cartela, existe o risco!

“E se eu esquecer de tomar a pílula?”

Se você esqueceu-se de tomar uma pílula da cartela, tome-a assim que se lembrar, porém, respeite o período máximo de até 12 horas do horário habitual de tomada.

Se esse período for maior que as 12 horas, existe a orientação conforme a semana em que ocorreu o esquecimento.

Esquecimento entre o dia 1°- 7°: tome assim que se lembrar e utilize preservativo por 7 dias;

Esquecimento entre o dia 8°- 14°: apenas tome o comprimido esquecido assim que lembrar;

Esquecimento entre o 15º- 24º dia: nesta semana você pode tomar o comprimido e emendar nova cartela ou fazer um intervalo de 4 dias a partir da pílula esquecida!

Posso tomar anticoncepcional e ingerir bebidas alcoólicas?

A ingestão de bebidas alcoólicas de maneira moderada não corta o efeito da pílula anticoncepcional.
Porém, o uso intensivo da mesma associada com os hormônios presentes na pílula pode aumentar o risco de algumas patologias como osteoporose e alguns tipos de câncer.

Como trocar de pílula anticoncepcional sem riscos?

Para uma troca tranquila e sem riscos, na pausa do anticoncepcional emende a nova pílula. Para garantir que não ocorrerá uma gravidez, durante 7 dias faça o uso do preservativo.

Antibiótico corta o efeito do anticoncepcional?
O antibiótico diminui a eficácia da pílula, mas não corta 100% o efeito. O indicado é ficar atento e consultar o médico.

Se for tomar o antibiótico por pouco tempo, a mulher pode associar a pílula a métodos de barreira como o anticoncepcional. No caso de tratamentos longos, o ideal é pedir para aumentar a dose da pílula.

Anticoncepcional na gravidez causa aborto?
Tomar o anticoncepcional no início da gravidez não causa aborto, mas se a mulher tomar uma pílula que possui apenas progestágenos, existe risco de ocorrer uma gravidez nas trompas de Falópio.

Também, tomar o anticoncepcional somente nas primeiras semanas de gestação, no período em que ainda não se sabe da gravidez, não apresenta riscos para o bebê. Porém, o uso prolongado do anticoncepcional durante a gravidez pode ser prejudicial para a formação do bebê.

Portanto, se houver qualquer suspeita de gravidez, o uso da pílula deve ser interrompido imediatamente.

Busque sempre a ajuda de profissionais qualificados e eficazes que vão estar prontos e dispostos para te ajudar, conte com a Unicallmed para te ajudar!

  • Compartilhar:

Deixe o seu comentário