Busca avançada
  1. Home
  2. Atendimento médico pós-pandemia, o que mudou? Separamos 3 soluções importantes
Atendimento médico pós-pandemia, o que mudou? Separamos 3 soluções importantes

Atendimento médico pós-pandemia, o que mudou? Separamos 3 soluções importantes

  • 22 de setembro de 2022
  • 0 Curtidas
  • 333 visualizações
  • 0 Comentários

Atendimento médico pós-pandemia, o que mudou?

O futuro da saúde está se desenrolando bem na frente de seus olhos. Se, antes da pandemia, o atendimento médico já estava caminhando lentamente e naturalmente para soluções mais inovadoras, hoje diversas delas já se tornaram realidade, impulsionadas por conta dos efeitos que a Covid-19 trouxe e por conta da aceleração que vem tendo a tecnológica.

As novas tendências para a saúde e medicina prometem mudar a maneira como cuidamos do corpo e da mente.
Neste artigo, vamos mostrar algumas delas, que já estão em curso neste momento. Veja algumas tendências para a saúde e a medicina pós pandemia.

O futuro da saúde talvez nem esteja tão distante assim, pois, é impossível negar o quanto a pandemia acelerou alguns processos e transformou outros. Quando tem ligação com a força da tecnologia, a medicina é capaz de alcançar um potencial que pode revolucionar profundamente alguns processos.

Separamos abaixo 3 soluções importantes para o pós-pandemia, veja.

Telemedicina, a medicina a distância:

No momento em que a pandemia foi deflagrada, os cuidados e acompanhamentos entre médicos e pacientes passaram por um processo de migração para o atendimento à distância, como ocorreu com todos os outros setores da vida e da economia. A telemedicina foi uma das primeiras medidas de saúde autorizadas para o isolamento social e o combate eficaz contra o coronavírus e fez com que fosse possível que as consultas e tratamentos de saúde de qualidade fossem prestados sem que ninguém precisasse sair nem mesmo do conforto de sua casa – nem o paciente e nem o médico. Isso está ligado, portanto, a uma opção segura, confortável e eficiente.

A telemedicina pode até mesmo ter sido um caminho natural ao passar por este período, no entanto a discussão em torno dela já era bem antiga. Na prática, o atendimento realizado via telefone e vídeo já estava no radar do futuro da saúde há um bom tempo, contudo, a desconfiança impedia que ela saísse, de fato, do papel. Ainda que tivesse tido uma autorização de caráter emergencial, ela já mostrou que funciona, e que torna mais fácil o acesso aos serviços médicos e que é uma grande aliada na gestão da saúde.

Além disso, a telemedicina permite que os pacientes consigam ter acesso e manter contato com médicos de qualquer parte do país ou especialistas mais qualificados em determinado procedimento, de maneira especial com relação àqueles que estão em áreas muito remotas.

Telerradiologia, a emissão de laudos à distância:

A telerradiologia não é bem uma novidade: já está regulamentada pelo Conselho Federal de Medicina desde 2014 (Resolução nº 2.107/2014). Contudo é impossível negar que o impulso mais importante só veio, mesmo, durante a pandemia.

A telerradiologia é a própria radiologia convencional e funciona quase como se fosse a própria telemedicina. A distinção se refere a forma de emissão do laudo médico: a avaliação dos testes de diagnósticos por imagem é feita de forma remota, gerando laudos digitais.

O médico, vai realizar uma análise das imagens, elaborar o laudo e enviar o resultado ao médico responsável pelo paciente. Tudo feito pela internet. Isso significa que o radiologista não precisa estar presente no local para fazer a avaliação do laudo, nem colocá-lo na fila de outros atendimentos presenciais. Todo o processo é realizado de forma remota e digital.

Home care, o atendimento médico em domicílio:
A prestação de serviços médicos domiciliares, é algo que já existia antes da pandemia do Covid-19, mas demonstrou um crescimento explosivo durante esse período. Um levantamento realizado pelo Núcleo Nacional de Empresas de Serviços de Atenção Domiciliar (Nead), mostrou que o número de pacientes atendidos por home care no Brasil teve um boom de 35% durante o isolamento social.
Os brasileiros acabaram descobrindo que esses cuidados em casa (ou, simplesmente, home care) podem ir além dos atendimentos com os quais tinham o costume, como por exemplo, a fisioterapia. Também é possível atuar em outras frentes, como por exemplo, a coleta de sangue, medicação na veia e troca de curativos.

Busque sempre a ajuda de profissionais qualificados e eficazes que vão estar prontos e dispostos para te ajudar, conte com a Unicallmed para te ajudar!

.

  • Compartilhar:

Deixe o seu comentário