Busca avançada
  1. Home
  2. Encefalomalacia, conheça melhor essa doença que pode levar a morte!
Encefalomalacia, conheça melhor essa doença que pode levar a morte!

Encefalomalacia, conheça melhor essa doença que pode levar a morte!

  • 6 de julho de 2022
  • 0 Curtidas
  • 554 visualizações
  • 0 Comentários

Encefalomalácia, conheça melhor essa doença que pode levar à morte!

O termo “malácia” vem da palavra grega ” malaika”, que significa “amolecimento” ou “amolecido”, e é usado como prefixo dos nomes de uma variedade de doenças degenerativas, como condromalácia (amolecimento na patela do joelho), osteomalácia (amolecimento dos ossos), traqueomalácia.
No entanto, a encefalomalácia é resultado de uma variedade de fatores, incluindo doenças, acometimentos, acidentes e qualquer outra coisa que possa fazer com que a densidade do encéfalo diminua.

As causas mais comuns de tumores que consomem o tecido cerebral por um longo período de tempo incluem trauma craniano, isquemia, esclerose múltipla e AVC, trauma, manipulação cirúrgica, etc. Essas lesões podem ser encontradas até mesmo em EEG de portadores de doença de Alzheimer.

A encefalomalácia, também pode ser chamada de gliose, e basicamente é uma região do tecido cerebral ou do conjunto encefálico que sofreu algum dano, logo, são lesões cicatriciais. Sua gravidade depende muito da extensão da doença que a causou e do tamanho da lesão.

Quais são os fatores de risco para o desenvolvimento da encefalomalácia?

Alguns fatores de risco para a encefalomalácia são tabagismo, colesterol alto, triglicerídeos altos, alcoolismo, obesidade, sobrepeso, sedentarismo, diabetes, hipertensão, vasculites, lúpus eritematoso sistêmico, casos persistentes e graves de enxaqueca com aura, portadores de alguns transtornos, como o transtorno bipolar, esquizofrenia, depressão maior e dependência química.

No entanto, até quem tem uma boa saúde e não apresenta os algum fator de risco acima pode desenvolver uma gliose, por diversos motivos, por exemplo os AVCs isquêmicos geralmente são descobertos apenas em exames de imagem, nos check-ups, não causam nenhum tipo de sintoma e são silenciosos.

Qual o profissional responsável pelo tratamento da encefalomalácia?

Quem trata as lesões da encefalomalácia, e também faz o diagnóstico da patologia, é o neurologista. O diagnóstico é feito por meio de exames de imagem e análise do histórico do paciente, bem como a prescrição do tratamento por parte do médico.

Na maioria das vezes, se as lesões forem pequenas, são alterações benignas ou sem grandes sintomas vinculados. Entretanto, isso deve ser avaliado e visto por um médico especializado, pois qualquer detalhe despercebido ou caso o tratamento ideal não seja feito, pode ser um fator de risco para a saúde do paciente.

Hoje em dia, o acesso às informações corretas sobre doenças é uma utilidade pública e de muita valia, pois não poderemos informar melhor pessoas que passam pelo problema, bem como guiar familiares que convivem com os pacientes e deter o avanço de notícias falsas e tratamentos alternativos que muitas vezes podem colocar a saúde da população em risco.

Com todas as informações passadas sobre a encefalomalácia, o que é e qual é a especialidade médica que trata essas lesões, fica mais fácil para o paciente entender do que se trata e até mesmo informar pacientes e familiares de quem convive com essa questão de saúde.

É imprescindível o acompanhamento de um médico especialista, para garantir o diagnóstico correto e o tratamento mais adequado.

Qual é o tratamento?

O tecido cerebral não se regenera, por isso as partes danificadas não poderão ser recuperadas.

É por isso que a coisa mais importante a fazer se este problema for detectado é analisar os danos causados o mais rapidamente possível e evitar que se espalhem ou ocorram ainda mais. Para o fazer, a causa deve ser apanhada e, se possível, o tecido danificado removido. A terapia com células estaminais pode ajudar a restaurar algumas das funções ou a prevenir novos danos.

Se não for tratada a tempo, a encefalomalácia pode levar a incapacidade, convulsões, coma ou até mesmo à morte.

Busque sempre a ajuda de profissionais qualificados e eficazes que vão estar prontos e dispostos para te ajudar, conte com a Unicallmed para te ajudar!

  • Compartilhar:

Deixe o seu comentário