Busca avançada
  1. Home
  2. Tinea cruris: o que é, quais sintomas e tratamentos?
Tinea cruris: o que é, quais sintomas e tratamentos?

Tinea cruris: o que é, quais sintomas e tratamentos?

  • 19 de julho de 2022
  • 0 Curtidas
  • 534 visualizações
  • 0 Comentários

A tinea cruris é um tipo de micose superficial, conhecida como dermatofitose, que acomete a pele onde não há pelo, principalmente na virilha e na região pubiana, onde pode ser notado a presença de placas vermelhas aparecendo nessa região que, por sua vez coçam muito, podendo provocar também o aparecimento de algumas bolhas no local.

Essa micose aparece principalmente nas pessoas que usam roupas muito quentes, pessoas que não fazem a higienização correta e suam muito, sendo mais comum de acontecer nos homens. Sendo assim, caso apresente sinais e sintomas que possivelmente são indicativos de Tinea cruris, um médico dermatologista deve ser consultado para que possa ser iniciado o tratamento adequado, que envolve o uso de pomadas antifúngicas.

Quais são os principais sintomas da tinea cruris?

A tinea cruris tem como seu sintoma principal o aparecimento de uma lesão vermelha na virilha, que pode acontecer em apenas um, ou nos dois lados, e em alguns casos também poder atingir, a região pubiana. Separamos abaixo alguns dos principais sintomas e características das lesões da Tinea cruris, são eles:

Placas avermelhadas bem delimitadas;
Lesões com crescimento centrífugo, que se expande desde o centro até as extremidades;
Lesões com bordas elevadas;
Coceira em local específico
Aparecimento de bolhas nas lesões, em alguns casos.

Ademais, é bastante comum que em alguns casos se encontre infecção secundária, causada por bactéria ou por outros fungos, sendo muito importante se consultar com um dermatologista assim que forem descobertos sinais e sintomas que podem indicar a Tinea cruris, pois assim é possível iniciar de forma rápida e objetiva o tratamento da doença e aliviar os seus sintomas.

Caso você apresente alguns sinais ou sintomas, vistos acima é importante que se procure um especialista o mais rápido possível, para que possa ser dado o diagnóstico, e seja feito o tratamento, a unicallmed pode te ajudar a encontrar profissionais qualificados para te ajudar!

Quais as causas da tinea cruris?

Essa doença é causada principalmente por fungos, chamados de Trichophyton rubrum e Trichophyton mentagrophytes, entretanto pode acontecer, de forma menos frequente, pela proliferação de fungos dos gêneros Epidermophyton e Microsporum. Esses fungos podem ser encontrados na pele e, por conta de alguns fatores, podem acabar se proliferando e digerir a queratina presente na pele, causando dessa maneira o desenvolvimento de tais sintomas.

Existem também alguns outros fatores que podem acabar aumentando os riscos de desenvolvimento de Tinea cruris, são eles:

– O suor em excesso,
– O uso de roupas muito quentes,
– A higiene inadequada,
– Diabetes mellitus é um sistema imunológico comprometido, pois isso vai criar um “ambiente” favorável para o desenvolvimento e proliferação do fungo.

Como é feito o diagnóstico da tinea cruris?
Na maioria dos casos, o diagnóstico é realizado pelo médico dermatologista, e consiste apenas na avaliação das lesões, além de ser feita uma avaliação geral do estado de saúde do paciente e, perguntas sobre seus hábitos rotineiros.

No entanto, em alguns casos o dermatologista poderá indicar que seja feita a realização de alguns exames dermatológicos para assim poder confirmar a micose Tinea cruris e descartar a possibilidade de haver outros problemas de pele que possuem sintomas semelhantes, como por exemplo a psoríase inversa, eritrasma, dermatite seborreia e candidíase inguinal, por exemplo.

Como é feito o tratamento?
O tratamento de tinea cruris vai envolver o uso de remédios antifúngicos em forma de comprimido ou de pomada, principalmente, que deve ser aplicada na lesão de forma direta. Assim, o médico poderá solicitar que se faça o uso do miconazol, clotrimazol, terbinafina, fluconazol, cetoconazol ou itraconazol, em um período de 1 a 3 semanas dependendo da orientação do médico e da extensão da lesão.

Deixe o seu comentário