Busca avançada
  1. Home
  2. Útero baixo: é perigoso? 7 fatos sobre o útero
Útero baixo: é perigoso? 7 fatos sobre o útero

Útero baixo: é perigoso? 7 fatos sobre o útero

  • 11 de julho de 2022
  • 0 Curtidas
  • 567 visualizações
  • 0 Comentários

Útero baixo: é perigoso?

O colo do útero baixo é uma alteração na distância entre a vulva e o útero. Essa alteração pode incomodar ou permitir que a mulher leve uma vida normal, inclusive, essa é uma escolha onde a mulher pode decidir se ainda quer engravidar ou retirar esse órgão.

Quais são as principais causas do útero baixo?

O útero de uma mulher permanece suspenso na região abdominal pelos filamentos, conforme o tempo passa e a menopausa ela chega, os níveis hormonais diminuem, e esses filamentos tornam-se flácidos, reduzindo a sustentação do útero, confira abaixo algumas das causas mais comuns:

Fator genético:
Algumas mulheres nascem com essa característica e outras podem desenvolver com o passar dos anos.

Idade avançada:
Quando a mulher já tem uma idade avançada, fatores como obesidade, alterações hormonais, partos ou cirurgias pélvicas podem desencadear a descida do colo uterino.

Fatores secundários:
Problemas como bexiga caída, tosse crônica, constipação intestinal, excesso de pele na região abdominal, excesso de peso, tumores pélvicos e herniação das alças do intestino podem também contribuir para o colo do útero baixo.

Gravidez:
É importante que durante a gravidez, a mulher faça o acompanhamento da saúde e entenda alguns fatores sobre o colo do útero baixo durante a gravidez, que pode causar prisão de ventre e dificuldades para andar.

Quais os sintomas do útero baixo?

A dor lombar é um dos sintomas mais comum, mas também existe outros, como por exemplo, dificuldade para urinar, evacuar e caminhar, além de dor durante as relações sexuais, proeminência da vagina (como se ela estivesse mais para fora) e corrimentos frequentes.

Confira a seguir alguns desses sintomas de modo mais detalhado:

Dor durante as relações sexuais:
Como a distância entre o útero e a vagina é menor, pode haver desconforto e até mesmo dor durante o ato sexual.

Corrimentos frequentes:
O útero está mais exposto, próximo à vulva, por isso existe um risco maior de corrimentos e infecções.

Incômodo vaginal:
Uma das queixas mais comuns é a sensação de “bola vaginal”, causando um incômodo desagrável na mulher.

Dificuldade em usar coletores menstruais:
Visto que o coletor menstrual deve ser introduzido no canal vaginal para colher o sangue menstrual, o comprimento menor da região dificulta o encaixe do coletor.

Fique alerta! Ao sentir qualquer tipo de sintomas deve procurar um médico ginecologista de confiança. O ginecologista vai solicitar alguns exames, como por exemplo, o exame de toque ou encaminhar para um exame transvaginal. É importante lembrar que somente com orientação profissional é possível indicar com precisão a condição do seu útero, por isso não hesite em buscar ajuda médica.

Qual o tratamento para o colo do útero baixo?

O tratamento vai depender de mulher para mulher, pois ele é indicado de acordo com os sintomas apresentados em cada uma delas.

O tratamento do colo de útero pode ser feito com medicamentos, mas caso a mulher sinta dores e dificuldades para urinar, pode ser mais adequado recorrer a uma intervenção cirúrgica.

Como citado acima, cada situação exigirá um tipo de tratamento, mas uma medida que se aplica a todas elas é o fortalecimento do assoalho pélvico. Isso pode ser feito com exercícios físicos ou com uso de cremes ou anéis contendo hormônio, que são aplicados no canal vaginal e ajudam a restaurar o tecido dessa região.

O essencial é visitar um médico ginecologista com frequência, e observar os sinais do seu corpo, além de conversar sobre possíveis incômodos com esse especialista.

O colo do útero baixo tem tratamento e permite levar uma vida normal, por isso não deixe de procurar ajuda!

Conheça 07 fatos sobre o útero:

Ele funciona como uma barreira de proteção;

O colo do útero produz o muco cervical, uma secreção líquida com propriedades bactericidas que opera como uma espécie de tampão que impede a entrada de corpos estranhos;

O útero fica mais dilatado durante a menstruação;

O ideal é manter o uso do preservativo nas relações mesmo durante o ciclo menstrual.

Além de ficar mais aberto, na fase fértil, o útero fica mais profundo e mole. Já durante a menstruação, ele fica mais firme e baixo para permitir que o sangue flua.

A região do colo de útero pode variar de tamanho e até mesmo de formato.

O colo do útero acompanha algumas mudanças, como: idade, fases do ciclo menstrual, determinadas patologias, gravidez, entre outras.

  • Compartilhar:

Deixe o seu comentário