Busca avançada
  1. Home
  2. Dor no bico das mamas: quais as causas e quando devo me preocupar?
Dor no bico das mamas: quais as causas e quando devo me preocupar?

Dor no bico das mamas: quais as causas e quando devo me preocupar?

  • 11 de julho de 2022
  • 0 Curtidas
  • 545 visualizações
  • 0 Comentários

Dor no bico das mamas: quais as causas, quando devo me preocupar e o que pode ser?

A dor no bico das mamas ou em qualquer parte do seio é muito comum e é um grande incômodo para as mulheres. Essa dor atinge cerca de 70% das mulheres e nem sempre é sinal de algo mais sério.

Essa dor levanta grandes dúvidas nas mulheres, muitas desconfiam de gravidez, ou até mesmo câncer. Essas são perguntas comuns de serem feitas, já que é uma dor inesperada e dolorosa. É importante lembrar que não necessariamente a dor no bico do peito está relacionada à presença do câncer de mama.

Dor no bico das mamas é sinal de gravidez?

Sim. A gravidez é um período de intensa produção de hormônios,
inclusive daqueles que “avisam” às células da mama que elas devem se preparar para a lactação.
Portanto, formigamentos e desconfortos são comuns, pois o seio está crescendo e se adaptando para a amamentação.

Quais são as principais causas?

Uma das principais causas de dor no bico das mamas é sinal de gravidez, pode estar relacionada ao ciclo menstrual, podendo ocorrer tanto no período pré-menstrual quanto após o fim do fluxo.

Essa dor no bico da mama também pode ser resultado de alterações hormonais ou até mesmo mudança na alimentação e neuropsíquicas, além de poder estar ligada a traumas e processos inflamatórios.

Os seios são uma região com bastante sensibilidade e os formigamentos ocorrem quando há alteração nas terminações, já as agulhadas podem estar relacionada ao câncer de mama.

Confira abaixo as principais causas para esse quadro:

Fricção:
É um dos motivos mais comuns de mamilos doloridos. Pode ocorrer pelo contato com roupas ou sutiãs podendo causar ressecamento, rachaduras na pele, infecções, ferimentos por atrito, além de também ser possível uma aparição de fungos nos mamilos.

Amamentação:
É uma causa bastante comum de dor nos mamilos por causa da sucção do bebe.

Doença de Paget:
Esse é um tipo raro de tumor e pode suscitar dor e descamação nos mamilos.

Mastite:
Essa é uma inflamação que ocorre em mulheres que amamentam, geralmente se manifesta nas doze primeiras semanas após o parto e pode causar inchaço, coceira, calafrio e necessidade de interromper a amamentação. A mastite não ocorre somente nas mulheres, esta condição também pode ser apresentada nos homens.

Mastalgia:
A mastalgia é uma das principais doenças relacionadas a dor no mamilo, ela pode ser classificada em três níveis: cíclica, acíclica ou não-mamária, confira abaixo um pouco mais sobre cada um desses níveis:

Cíclica: esse é o tipo mais comum, ele atinge mulheres entre 30 e 40 anos, geralmente cerca de duas semanas ante do período menstrual;

Acíclica: esse nível está relacionada à menopausa e acontece de forma mais frequente pacientes na faixa dos 50 anos;

Não-mamária: ainda que as mamas estejam doendo, a origem do problema está em outra região, sendo necessário averiguar qual a verdadeira causa do desconforto.

Caso você apresente sintomas como: nódulos ou massas palpáveis, retrações da pele, da aréola do mamilo e alterações na pele, procure a ajuda de um médico especialista!

Esse especialista irá consultar e solicitar exames como é o exemplo da mamografia, para que possa fazer um diagnóstico preciso e indicar o melhor tratamento para o quadro apresentado.

Qual especialista devo procurar?

O mastologista é o médico especialista nesse assunto. É ele quem faz o tratamento de problemas nas mamas, então é importante procurar esse profissional para que ele solicite alguns.

Procure esse profissional o mais rápido possível para evitar algo mais grave. Fique atento e preste atenção se existe a presença de nódulos ou outros sintomas, como secreção no mamilo, ou alterações fisiológicas.

Busque sempre a ajuda de profissionais qualificados e eficazes que vão estar prontos e dispostos para te ajudar, conte com a Unicallmed para te ajudar!

Deixe o seu comentário